Um Governo que ignora a prevenção da saúde pública, quarentena e propagação viral. Brasil continua de portas abertas para o Coronavírus

 

Assista às explicações do Dr. Jamal Sobhi Azzam, nesse momento em que o Governo brasileiro está hoje (24/03/2020) contrariando às recomendações das organizações de saúde de todo o mundo, dos alertas dos governos de todos os países, dos médicos brasileiros e está liberando todos os brasileiros abaixo de 60 anos, precocemente de uma quarentena mal iniciada, que precisa seguir padrões internacionais. Para Jair Bolsonaro, todos que estiverem abaixo de 60 anos, não estiverem doentes, mas que podem já estar infectados em estado assintomático e, portanto, contagiosos, podem sair para as ruas normalmente, trabalharem e frequentarem escolas e diversões.

Estão presentes as análises das condutas de eventual tipificação de homicídio por dolo eventual do Artigo 121 do Código Penal, e a eventual tipificação do Artigo 132 do mesmo Código, que prevê a colocação em risco da vida e saúde de terceiro de forma direta e imediata.

Celso Galli Coimbra – OABRS 11352 – http://www.celsogallicoimbra.com

_

 

WhatsApp Image 2020-03-24 at 21.51.45

Organização Mundial da Saúde – Coronavírus – Covid – 19

 

Poluição Pode Causar Carência de Vitamina D

10.000 UI é a dose diária necessária deste hormônio para pessoas saudáveis, assista:

Dr. Cícero Galli Coimbra – Doenças Autoimunes e Vitamina D
http://youtu.be/4uJt1361aGw

__

NOVA YORK (Reuters Health) – A poluição atmosférica pode causar deficiência de vitamina D em crianças pequenas, informaram pesquisadores britânicos durante o 22o. encontro anual da Sociedade Americana para Pesquisa Mineral e Óssea, em Nova York.

F5C93

Preocupado com o fato de a poluição do ar ser capaz de bloquear os raios ultravioleta B do sol, Zulf Mughal, pediatra consultor da Universidade de Manchester, Inglaterra, trabalhou com pesquisadores da Universidade de Nova Déli, na Índia, para avaliar as nuvens de poluentes em Mori Gate, localizada na região central da cidade, e Gurgoan, subúrbio de Nova Déli.

A luz do sol estimula a síntese de vitamina D no organismo e em alguns países a vitamina é adicionada ao leite e alguns de seus derivados.

Os pesquisadores descobriram que houve significativamente mais neblina e menos sol na região central de Nova Déli e menos neblina e mais luz solar na região de Gurgoan. A equipe mediu os níveis de cálcio, vitamina D e outros indicadores do crescimento ósseo no sangue de 56 crianças entre 9 e 24 meses de idade.

O grupo de Mughal verificou uma diferença significativa nos níveis de vitamina D mesmo em crianças de famílias com situação social e econômica similar, que tiveram dietas semelhantes e não tomavam suplementos vitamínicos. As crianças que viviam em áreas do centro de Nova Déli, com mais poluição, apresentavam um nível médio de vitamina D inferior ao das crianças que moravam no subúrbio.

Para Mughal, as crianças que moravam em áreas de alta poluição e muita neblina deveriam receber suplementos com vitamina D.

Segundo o pesquisador, além do raquitismo — deficiência no crescimento ósseo — a carência de vitamina D está associada a outros problemas de saúde como risco aumentado de câncer do cólon.

Sinopse preparada por Reuters Health

Fonte: http://www.boasaude.com.br/noticias/1059/poluicao-pode-causar-carencia-de-vitamina-d.html

John Lennon não concordou com aborto

__

Yoko Ono admitiu que estava disposta a abortar quando ficou grávida do ex-beatle John Lennon, mas deixou que a decisão final fosse tomada pelo músico, segundo revelou ao programa Desert Island Discs, da BBC Radio 4.
Pelo fato de atravessarem uma relação turbulenta, Yoko admitiu que não tinha certeza se queria ter o bebê, nascido em 1975 e que recebeu o nome Sean, porque não sabia se John Lennon o queria, informou a agência EFE.

 

A viúva de Lennon, que agora tem 74 anos, começou sua relação com o ex-beatle em 1967 e dois anos depois estavam casados, mas Sean foi concebido após uma separação de 18 meses.

 

– Sei que soa estranho agora, mas eu pensei e percebi que deveria deixar que John decidisse se queria tê-lo ou não. Depois de ficarmos juntos outra vez, fiquei grávida em seguida, e não sabia se era o momento certo para ter uma criança, porque talvez ele não quisesse. Não o queria incomodar com algo que não quisesse – acrescentou.

Yoko afirmou que Lennon, que foi assassinado em Nova York, em dezembro de 1980, disse que queria ter a criança.

O jornal Sunday Times lembra que Lennon dedicou seu tempo para criar seu filho e deixou a música de lado por vários anos.

Domingo, 10 de junho de 2007
Yoko Ono cogitou abortar Sean Lennon
http://www.clicrbs.com.br/clicnoticias/jsp/default.jsp?source=DYNAMIC,blog.BlogDataServer,getBlog&pg=1&uf=1&local=1&template=3025.dwt&tp=&blog=53&tipo=1&coldir=1&post=21154
__

Médicos defendem legalização da venda de órgãos

_

BBC Brasil

Quinta, 16 de fevereiro de 2006, 15h31  Atualizada às 16h27

__

Médicos defendem nos EUA legalização da venda de órgãos

Os médicos sugeriram que um rim custasse R$ 85 mil
Dois médicos americanos sugeriram que o comércio de órgãos humanos como os rins seja legalizado para atender a uma crescente demanda por eles.

Em artigo publicado na revista médica Kidney International, os especialistas dizem que as campanhas tradicionais para recrutar mais doadores estão fracassando, e o mercado negro de órgãos, cada vez maior.

Eli Friedman, um médico renal da Universidade Estadual de Nova York, e Amy Friedman, uma especialista em transplantes da Universidade de Yale, defendem a idéia com o argumento de que indivíduos têm direito sobre seus próprios corpos.

Mas especialistas britânicos dizem que a medida não é necessária e resultaria na exploração de pessoas pobres.

Exploração

Os autores do artigo dizem que “as estratégias para aumentar o número de doadores têm sido um grande fracasso.”

“Embora seja ilegal na maioria dos países, e visto como antiético por organizações médicas profissionais, a venda voluntária de órgãos é responsável atualmente por milhares de transplantes ilegais.”

Os médicos sugeriram que um rim seja comercializado por US$ 40 mil (o equivalente a cerca de R$ 85 mil) e que seja criada uma agência para regular as transferências.

No entanto, o presidente da Associação Médica Britânica, Michael Wilks, disse que existe um consenso internacional contra este tipo de comércio.

“É uma exploração, especialmente em relação ao Terceiro Mundo, além de não ser necessário” diz ele.

Fonte: http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2006/02/060216_comercioderimrc.shtml

__

%d blogueiros gostam disto: