Protocolo Coimbra. Dr. Cícero Galli Coimbra

Brasil terá aumento abrupto nos casos de coronavírus, diz secretário do Ministério da Saúde

 

Brasil terá aumento abrupto nos casos de coronavírus, diz secretário do Ministério da Saúde

Agência Senado
Audiência foi realizada nesta quarta, mesmo dia em que a OMS classificou a doença como pandemia
O Brasil está se preparando para o crescimento rápido no número de casos da doença Covid-19 (causa por novo tipo de coronavírus). A afirmação é do secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, que esteve no Senado nesta quarta-feira (11) para participar de audiência pública na Comissão de Fiscalização e Controle (CTFC). A doença foi classificada como pandemia nesta quarta-feira pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

— A partir de agora, deve aumentar o número de casos de transmissão local. E nós devemos entrar, em uma ou duas semanas, no que é mais grave, que nós chamamos de transmissão comunitária. As pessoas vão contrair a doença sem que nós consigamos estabelecer a origem do vírus, quem transmitiu o vírus — explicou.

Até agora, segundo o secretário, os casos registrados no Brasil são de pessoas que contraíram o vírus em viagens ou tiveram contato com pessoas nessa infectadas. A evolução rápida, com um pico no número de casos, foi registrada em todos os países que registram há mais tempo os casos dessa doença, e deve começar nos próximos dias no Brasil.

— Todos os países começam com o número de casos menor, um número que mais ou menos segue um padrão e, de uma hora para outra, há um acréscimo brutal. Entre quatro e seis semanas depois disso, pelo que vimos até agora, a tendência começar a cair.

As próximas medidas a serem tomadas pelo governo, segundo Gabbardo, são a criação de um conselho interministerial para tratar do tema e uma intensificação nas orientações de isolamento domiciliar em casos suspeitos ou confirmados. Também serão adquiridas 20 milhões de máscaras cirúrgicas e quatro milhões de máscaras hospitalares do tipo N95 para os serviços de saúde. Além disso, serão contratados cinco mil novos médicos e mais mil leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

— Estamos nos preparando para ter um número adicional de leitos de UTI porque esses pacientes entram nos leitos e não saem rápido; eles ficam de três a quatro semanas. Como não há uma renovação na utilização desses leitos, eles vão se esgotando — explicou o secretário, que citou o exemplo da Itália, onde a falta de leitos foi um dos fatores que levaram a medidas drásticas de isolamento.

Com a decretação de pandemia pela OMS, Gabbardo afirmou que deixarão de ser feitas as ligações de casos com viagens, ou seja: os testes para a nova doença vão começar a ser feitos em todas as pessoas que apresentem os sintomas. No caso de complicações, as pessoas serão tratadas nos hospitais com ventilação mecânica e outros recursos.

coronavirus2

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Serum concentration of 25 -hydroxyvitamin D in autism spectrum disorder: a systematic review and meta-analysis.

Protocolo Coimbra, o poder do hormônio D – Vitamina D

Palestra do Dr. Cícero Galli Coimbra na APAE Foz do Iguaçu – PR

Orientação do Dr. Cícero Galli Coimbra é posta em prática no Japão para contenção do Coronavírus e censurada no Brasil

 

“Como aumentar vitamina D no corpo para elevar a resistência à infecção viral”

 

 

Essa matéria foi publicada dia 27 de fevereiro de 2020, no portal PORTALMIE, onde poderá ser lido na íntegra, o que recomendamos.

No Brasil, às vésperas do Carnaval, houve a solicitação entre médicos ao médico brasileiro, Dr. Cícero Galli Coimbra, para orientar como se proteger contra o risco de contágio do novo coronavírus – Covid-19.

Ele explicou o que deve ser conferido no vídeo abaixo, e que tem a ver com a normalização da imunidade inata ou inespecífica, através de sua recuperação aos níveis necessários para prevenção da saúde, pelo consumo do hormônio erroneamente chamado de “vitamina D”, em doses de suplementação fisiológicas de 10.000 UIs diárias.

Leia a reportagem do site PORTALMIE, aqui há somente uma pequena parte.

A partir de hoje, dia 28 de fevereiro de 2020, voltaremos a publicar o material sobre esse importante assunto de saúde pública, com veiculação de vídeos e textos selecionados.

Celso Galli Coimbra – OABRS 11352

 

(…)

“A vitamina D é imprescindível para elevar a resistência do corpo contra infecções virais, por isso, veja como proceder.

Nesta época de epidemia de influenza e também da disseminação do novo coronavírus, o Covid-19, além dos polens do cedro na atmosfera, os quais podem causar polinose (kafunsho), entra em cena a vitamina D.

Erroneamente nomeada de vitamina, na verdade, é um hormônio, o qual aumenta a resistência a doenças infecciosas.”

Vitamina D reduz doenças infecciosas em 20%

“Vários estudos mostraram que a vitamina D previne a gripe. Por exemplo, uma equipe internacional de pesquisa colaborativa com o professor Mitsuyoshi Urashima, da Universidade de Medicina Jikei de Tóquio, fundiu 25 relatórios de todo o mundo examinando a relação entre administração de vitamina D e infecções do trato respiratório. Foram analisadas 11 mil pessoas.”

“Como resultado, aqueles que tomaram cápsulas de vitamina D tiveram 20% menos chances de desenvolver infecções respiratórias como influenza, bronquite e pneumonia do que aqueles que não tomaram.

“Em particular, naqueles que são deficientes em níveis de vitamina D no sangue, o grupo que tomou vitamina D teve 70% menos casos. Dessa forma confirmou-se o efeito da vitamina D na prevenção da gripe.”

Vitamina D pode prevenir Covid-19?

“Algumas pessoas no mesmo ambiente contraem a gripe e outras não. Algumas pessoas contraem a gripe todo inverno e outras nunca a tiveram. Isso ocorre em parte porque a deficiência de vitamina D reduz a resistência e as torna mais suscetíveis à influenza. A pneumonia causada pelo Covid-19 é uma infecção da doença respiratória como a influenza, por isso, pode-se esperar que a vitamina D possa prevenir novos tipos de pneumonia”, explicou o médico, diretor do Hospital Yokohama Aihara. “

Como aumentar o nível de vitamina D no corpo

“Há 3 formas de aumentar o nível desse hormônio no sangue. Veja como.

1 – Tomar sol 

“Para quem trabalha pode ser difícil tomar sol, mas se puder fazer um esforço vale a pena. O sol do meio-dia, ou no horário do almoço, é benéfico. No verão precisaria de 30 minutos mas no inverno, pelo menos 1 hora, no Japão. 

“Mas, para obter toda a quantidade necessária é preciso tomar sol diariamente com toda a área do corpo exposta, por 10 a 20 minutos, entre 11h e 14h, dependendo da cor da pele.

(…)

“O médico brasileiro que defende o uso da vitamina D recomenda dose diária de 10.000 IU por dia para quem tem pelo menos 50Kg de peso. No caso das crianças são 200 IU por quilo de peso. Então, se ela tem 20Kg a dose é de 4.000 IU.  

“Para compreender essas medidas o cálculo é simples. Cada 40 IU = 1μg. Portanto, 50μg significa 2.000 IU. Ou, 10.000 IU é igual a 250μg. 

“Assista ao vídeo do Dr. Cícero Galli Coimbra, médico e neurologista, que desenvolveu o Protocolo Coimbra para o Tratamento de Doenças Autoimunitárias, usado em vários países do mundo.

(Observação deste site veiculante da notícia: esse vídeo divulgado no Japão foi irresponsavelmente censurado pelo Ministério da Saúde do Brasil para não haver divulgação deste potente protetor da saúde humana, seja por ignorância ou não)

Primeiro vídeo:

https://www.youtube.com/watch?v=cFqYZnO_86s&list=PL301EAE2D5602A758&index=7&t=0s

 

 

 

 

 

 

O que você come pode reduzir ou aumentar o risco de câncer

__

Várias décadas atrás, os médicos estiveram no escuro sobre o papel da alimentação na saúde. Na verdade, a maioria dos médicos tinham pouca informação em nutrição e o papel que vitaminas e minerais tinham nas doenças. Os médicos foram ensinados a concentrar-se em tratar os sintomas da doença, em vez de prevenir a doença em si!

 

acomer

 

 

No entanto,  hoje em dia, os médicos estão muito mais conscientes da relação entre as dietas de seus pacientes e as doenças que eles podem contrair. Como digo a meus pacientes, uma dieta saudável pode reduzir muito os riscos para as 3 maiores preocupações com saúde que enfrentam hoje, doença cardíaca, diabetes e câncer.

Com isso em mente,  gostaria de compartilhar com você algumas informações de dieta específica que dou aos meus pacientes para reduzir o risco para câncer.

Mudar o seu prato, aumentar a sua saúde!

Primeiro, você precisa repensar a distribuição da quantidade do alimento que você coloca no seu prato. Se você  come normalmente muito alimento de origem animal (carne bovina, carne de porco, peixe, frango, ovos) e uma porção muito menor de alimentos à base de plantas, legumes, frutas, ou grãos. Estavam indo para alterar essa relação para isso:

Prato com 2/3 preenchidos com alimentos ricos em fibras, alto nível de vitamina/mineral como grãos integrais (arroz integral, macarrão de trigo integral) ou leguminosas (grão de bico, lentilhas, feijão, ervilhas verdes e amarelas), vegetais amarelo/vermelho/verde (pimentas, verdes escuros, como espinafre, couve), frutas com alto conteúdo de água (maçãs, ameixas, laranjas, melão, damascos, pêssegos).

Prato com 1/3 preenchido com carne bovina, carne de porco, frango, peixe, ovos (ignorar se você incluir leguminosas e prefere vegetariano). Este 1/3 não deve ser maior do que um baralho de cartas. Evite carnes processadas como salsicha, bacon que contêm nitrito de sódio, um conservante associado com câncer. Também evitar queimar ou tostar (partes escuras). Estas proteínas animais com o calor ou alta temperatura produzem altos níveis de Aminas Heterocíclicas que são cancerígenas.

Evitar o microondas: quando bandejas plásticas são super-aquecidas, elas podem lançar Xenoestrogens, que pode agravar os desequilíbrios hormonais masculino/feminino e aumentar o risco de câncer. Se você tem microondas, esvazie o alimento em um prato de vidro e cubra com papel de cera. Ou, não compre alimentos congelados em bandeja.

Escolha orgânico, lave bem

Em segundo lugar, queremos evitar tantos produtos químicos em nossos alimentos quanto possível. Muitos frutas e vegetais produzidos comercialmente (grandes marcas) contêm pesticidas, vários dos quais são cancerígenos. Rótulos comerciais destes produtos não mencionam a quais produtos químicos foram expostos, então assume-se que eles foram. Aqui estão 3 opções para evitar esses produtos químicos:

Lave bem Frutas e Legumes antes de comer. Há no mercado atualmente produtos de lavagem disponíveis que removem esta química. Deixe de molho num recipiente por 15-20 minutos com 1 colher de hipoclorito de sódio, que pode ser encontradas nas farmácias. Morangos precisam de mais tempo, pois as sementes podem armazenar produtos químicos.

Comprar produtos orgânicos custos um pouco mais, mas eles são cultivados sem pesticidas.

Compro Local – produtos cultivados localmente são geralmente livre de conservantes químicos, porque eles não têm de viajar muito.

Plantar numa pequena horta seus próprios produtos se você tem espaço em seu jardim, uma horta pessoal pode ser um passatempo muito gratificante. Você tem a segurança de saber que está sem produtos químicos cancerígenos e ainda pode economizar muito dinheiro do supermercado!

Coma bastante fibra

Geralmente somos deficientes em fibra e comemos muita gordura saturada. Já a fibra é a chave para uma saudável, reduzindo o risco de câncer. A Fibra ajuda rapidamente a expelir os agentes cancerígenos e as gorduras saturadas que se alojam no seu intestino. Aqui está como fazê-lo:

Tenha como objetivo consumir 25 gramas por dia, você deve ler os rótulos para certificar-se de que está recebendo o suficiente.

Adicione mais cereais integrais – farinha de aveia no café da manhã, pão integral, para o almoço, arroz integral ou macarrão de trigo integral para o jantar. Consulte o prato de 2/3 acima.

Adicionar mais frutas e verduras na sua dieta – Devemos comer 5-6 porções de frutas e vegetais por dia. Tente comer o quanto puder, com exceção de tomates que liberam o licopeno que combate o câncer quando cozido.

Fazer gorduras trabalharem por você e não contra você

As gorduras, as corretas, devem fazer parte de uma dieta saudável. Comemos muito gorduras saturadas de origem animal e muito pouco gorduras insaturadas, mais saudáveis. Eu recomendo o seguinte: limitar as gorduras saturadas – não mais de 20 gramas por dia.

Comer nozes – Nozes e castanhas contêm gorduras boas como Omega-3 que são úteis para evitar câncer e são anti-inflamatórias. Várias castanhas ou nozes por dia são tudo que você precisa para colher benefícios. Evite mofo e aflatoxinas que se formam na refrigeração após a abertura e que são cancerígenas.

Use óleos para cozinhar como vegetais como óleo de oliva, coco, linhaça, cártamo. Manter temperaturas baixas (menos de 240 graus) ao cozinhar com estes óleos, ou adicioná-los aos alimentos mais tarde. Calor e alta temperatura fazem todos os óleos ficaram cancerígenos. Mantenha na geladeira e/ou armazenar em local fresco e escuro para evitar o ranço.

Adicione 1g de Omega-3s diariamente, peixes, krill, ou óleo de linhaça.

E não se esqueça…

Água : A dieta mais básica, reduz o risco da doença. Nossos corpos, dependendo do tamanho, são cerca de 70% de água! Precisamos de muita água todos os dias para manter nossos sistemas trabalhando corretamente expelindo as toxinas e carcinógenos.

Beber todos os dias bastante água limpa e filtrada podem manter esses agentes bem longe do seu sangue e aparelho digestivo evitando o acúmulo deles que pode causar problemas.

Se sua urina está clara o consumo de água/fluido é adequado. Se parece mais escura e mais pesada, você precisa de mais água. Lembre-se, a transpiração faz com que você perca mais líquidos, então você precisa repor água para ficar bem hidratado.

Suplementos: Um boa dica de sumplemento vitamínico é : vitamina C, vitamina E, selênio, beta-caroteno e vitamina d. Estas são anticancerígenas potências e deve ser parte de sua dieta saudável todos os dias.

Estas são algumas dicas para evitar o risco de câncer através de uma dieta saudável! São mudanças fáceis que têm um bônus de 3-em-1. Não só vai reduzir o risco de câncer, mas também irá diminuir o risco de doenças cardíacas e diabetes!

Mark Rosenberg, M.D.
UNOPress

__

%d blogueiros gostam disto: