Deficiência de Vitamina D afeta mais de um bilhão de crianças e adultos em todo o mundo – é a verdadeira pandemia hoje e seu fim terminaria com a do Covid-19

Article download:

The vitamin D deficiency pandemic- Approaches for diagnosis, treatment and prevention – 2017_

“A deficiência e insuficiência de vitamina D é um problema de saúde global que afeta mais de um bilhão de crianças e adultos em todo o mundo. As consequências da deficiência de vitamina D não podem ser subestimadas.

Houve uma associação de deficiência de vitamina D com uma miríade de doenças agudas e crônicas, incluindo pré-eclâmpsia, cárie na infância, periodontite, distúrbios auto-imunes, doenças infecciosas, doenças cardiovasculares, cânceres mortais, diabetes tipo 2 e distúrbios neurológicos. Esta revisão deve colocar em perspectiva a controvérsia em torno da definição de deficiência e insuficiência de vitamina D, além de fornecer orientações sobre como tratar e prevenir a deficiência de vitamina D.”
Quanto tempo vamos levar para somar 2 + 2 e tomar uma atitude fundamentada no bom senso, que deveria levar o médico e o administrador da área da saúde a corrigir de imediato (com uma dose única – “de ataque” de 600.000 UI – ao custo de 5 dólares por pessoa) os níveis de vitamina D do staff hospitalar (também dos postos de saúde) e dos pacientes sintomáticos em primeiro lugar.

Depois, dos indivíduos identificados como portadores de fatores de risco, a serem chamados nos postos de saúde para tomarem a mesma dose que apenas corrige a deficiência pandêmica de vitamina D provocada pela fuga à exposição solar.

Quanto tempo vamos levar para aconselhar população que procure expor ao sol forte a mais ampla área de corpo possível ao menos por 15 minutos e sem a interferência de vidro ou de filtro solar, na medida do possível (devido ao confinamento). Correção de qualquer deficiência é obrigação, não é favor, e não pode provocar efeitos colaterais, pois se está apenas normalizando um parâmetro biológico.

Quantas mortes vão ocorrer a cada dia de espera por uma atitude (ao menos de alerta, orientação!). O que vai acontecer com as pessoas que se encontram em confinamento (portanto sem exposição solar, e com níveis progressivamente ainda mais baixos de vitamina D, quando elas começarem a sair do confinamento com mais grave imunodeficiência?

Quanto tempo vamos ficar passivos, chamando de “heróis” os trabalhadores de hospitais (de “mártires” quando morrerem)?

Coronavirus particles spreading in a crowd of people.

Protocolo Coimbra. Dr. Cícero Galli Coimbra

Brasil terá aumento abrupto nos casos de coronavírus, diz secretário do Ministério da Saúde

 

Brasil terá aumento abrupto nos casos de coronavírus, diz secretário do Ministério da Saúde

Agência Senado
Audiência foi realizada nesta quarta, mesmo dia em que a OMS classificou a doença como pandemia
O Brasil está se preparando para o crescimento rápido no número de casos da doença Covid-19 (causa por novo tipo de coronavírus). A afirmação é do secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, que esteve no Senado nesta quarta-feira (11) para participar de audiência pública na Comissão de Fiscalização e Controle (CTFC). A doença foi classificada como pandemia nesta quarta-feira pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

— A partir de agora, deve aumentar o número de casos de transmissão local. E nós devemos entrar, em uma ou duas semanas, no que é mais grave, que nós chamamos de transmissão comunitária. As pessoas vão contrair a doença sem que nós consigamos estabelecer a origem do vírus, quem transmitiu o vírus — explicou.

Até agora, segundo o secretário, os casos registrados no Brasil são de pessoas que contraíram o vírus em viagens ou tiveram contato com pessoas nessa infectadas. A evolução rápida, com um pico no número de casos, foi registrada em todos os países que registram há mais tempo os casos dessa doença, e deve começar nos próximos dias no Brasil.

— Todos os países começam com o número de casos menor, um número que mais ou menos segue um padrão e, de uma hora para outra, há um acréscimo brutal. Entre quatro e seis semanas depois disso, pelo que vimos até agora, a tendência começar a cair.

As próximas medidas a serem tomadas pelo governo, segundo Gabbardo, são a criação de um conselho interministerial para tratar do tema e uma intensificação nas orientações de isolamento domiciliar em casos suspeitos ou confirmados. Também serão adquiridas 20 milhões de máscaras cirúrgicas e quatro milhões de máscaras hospitalares do tipo N95 para os serviços de saúde. Além disso, serão contratados cinco mil novos médicos e mais mil leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

— Estamos nos preparando para ter um número adicional de leitos de UTI porque esses pacientes entram nos leitos e não saem rápido; eles ficam de três a quatro semanas. Como não há uma renovação na utilização desses leitos, eles vão se esgotando — explicou o secretário, que citou o exemplo da Itália, onde a falta de leitos foi um dos fatores que levaram a medidas drásticas de isolamento.

Com a decretação de pandemia pela OMS, Gabbardo afirmou que deixarão de ser feitas as ligações de casos com viagens, ou seja: os testes para a nova doença vão começar a ser feitos em todas as pessoas que apresentem os sintomas. No caso de complicações, as pessoas serão tratadas nos hospitais com ventilação mecânica e outros recursos.

coronavirus2

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Serum concentration of 25 -hydroxyvitamin D in autism spectrum disorder: a systematic review and meta-analysis.

Protocolo Coimbra, o poder do hormônio D – Vitamina D

Palestra do Dr. Cícero Galli Coimbra na APAE Foz do Iguaçu – PR

Orientação do Dr. Cícero Galli Coimbra é posta em prática no Japão para contenção do Coronavírus e censurada no Brasil

 

“Como aumentar vitamina D no corpo para elevar a resistência à infecção viral”

 

 

Essa matéria foi publicada dia 27 de fevereiro de 2020, no portal PORTALMIE, onde poderá ser lido na íntegra, o que recomendamos.

No Brasil, às vésperas do Carnaval, houve a solicitação entre médicos ao médico brasileiro, Dr. Cícero Galli Coimbra, para orientar como se proteger contra o risco de contágio do novo coronavírus – Covid-19.

Ele explicou o que deve ser conferido no vídeo abaixo, e que tem a ver com a normalização da imunidade inata ou inespecífica, através de sua recuperação aos níveis necessários para prevenção da saúde, pelo consumo do hormônio erroneamente chamado de “vitamina D”, em doses de suplementação fisiológicas de 10.000 UIs diárias.

Leia a reportagem do site PORTALMIE, aqui há somente uma pequena parte.

A partir de hoje, dia 28 de fevereiro de 2020, voltaremos a publicar o material sobre esse importante assunto de saúde pública, com veiculação de vídeos e textos selecionados.

Celso Galli Coimbra – OABRS 11352

 

(…)

“A vitamina D é imprescindível para elevar a resistência do corpo contra infecções virais, por isso, veja como proceder.

Nesta época de epidemia de influenza e também da disseminação do novo coronavírus, o Covid-19, além dos polens do cedro na atmosfera, os quais podem causar polinose (kafunsho), entra em cena a vitamina D.

Erroneamente nomeada de vitamina, na verdade, é um hormônio, o qual aumenta a resistência a doenças infecciosas.”

Vitamina D reduz doenças infecciosas em 20%

“Vários estudos mostraram que a vitamina D previne a gripe. Por exemplo, uma equipe internacional de pesquisa colaborativa com o professor Mitsuyoshi Urashima, da Universidade de Medicina Jikei de Tóquio, fundiu 25 relatórios de todo o mundo examinando a relação entre administração de vitamina D e infecções do trato respiratório. Foram analisadas 11 mil pessoas.”

“Como resultado, aqueles que tomaram cápsulas de vitamina D tiveram 20% menos chances de desenvolver infecções respiratórias como influenza, bronquite e pneumonia do que aqueles que não tomaram.

“Em particular, naqueles que são deficientes em níveis de vitamina D no sangue, o grupo que tomou vitamina D teve 70% menos casos. Dessa forma confirmou-se o efeito da vitamina D na prevenção da gripe.”

Vitamina D pode prevenir Covid-19?

“Algumas pessoas no mesmo ambiente contraem a gripe e outras não. Algumas pessoas contraem a gripe todo inverno e outras nunca a tiveram. Isso ocorre em parte porque a deficiência de vitamina D reduz a resistência e as torna mais suscetíveis à influenza. A pneumonia causada pelo Covid-19 é uma infecção da doença respiratória como a influenza, por isso, pode-se esperar que a vitamina D possa prevenir novos tipos de pneumonia”, explicou o médico, diretor do Hospital Yokohama Aihara. “

Como aumentar o nível de vitamina D no corpo

“Há 3 formas de aumentar o nível desse hormônio no sangue. Veja como.

1 – Tomar sol 

“Para quem trabalha pode ser difícil tomar sol, mas se puder fazer um esforço vale a pena. O sol do meio-dia, ou no horário do almoço, é benéfico. No verão precisaria de 30 minutos mas no inverno, pelo menos 1 hora, no Japão. 

“Mas, para obter toda a quantidade necessária é preciso tomar sol diariamente com toda a área do corpo exposta, por 10 a 20 minutos, entre 11h e 14h, dependendo da cor da pele.

(…)

“O médico brasileiro que defende o uso da vitamina D recomenda dose diária de 10.000 IU por dia para quem tem pelo menos 50Kg de peso. No caso das crianças são 200 IU por quilo de peso. Então, se ela tem 20Kg a dose é de 4.000 IU.  

“Para compreender essas medidas o cálculo é simples. Cada 40 IU = 1μg. Portanto, 50μg significa 2.000 IU. Ou, 10.000 IU é igual a 250μg. 

“Assista ao vídeo do Dr. Cícero Galli Coimbra, médico e neurologista, que desenvolveu o Protocolo Coimbra para o Tratamento de Doenças Autoimunitárias, usado em vários países do mundo.

(Observação deste site veiculante da notícia: esse vídeo divulgado no Japão foi irresponsavelmente censurado pelo Ministério da Saúde do Brasil para não haver divulgação deste potente protetor da saúde humana, seja por ignorância ou não)

Primeiro vídeo:

https://www.youtube.com/watch?v=cFqYZnO_86s&list=PL301EAE2D5602A758&index=7&t=0s

 

 

 

 

 

 

O que você come pode reduzir ou aumentar o risco de câncer

__

Várias décadas atrás, os médicos estiveram no escuro sobre o papel da alimentação na saúde. Na verdade, a maioria dos médicos tinham pouca informação em nutrição e o papel que vitaminas e minerais tinham nas doenças. Os médicos foram ensinados a concentrar-se em tratar os sintomas da doença, em vez de prevenir a doença em si!

 

acomer

 

 

No entanto,  hoje em dia, os médicos estão muito mais conscientes da relação entre as dietas de seus pacientes e as doenças que eles podem contrair. Como digo a meus pacientes, uma dieta saudável pode reduzir muito os riscos para as 3 maiores preocupações com saúde que enfrentam hoje, doença cardíaca, diabetes e câncer.

Com isso em mente,  gostaria de compartilhar com você algumas informações de dieta específica que dou aos meus pacientes para reduzir o risco para câncer.

Mudar o seu prato, aumentar a sua saúde!

Primeiro, você precisa repensar a distribuição da quantidade do alimento que você coloca no seu prato. Se você  come normalmente muito alimento de origem animal (carne bovina, carne de porco, peixe, frango, ovos) e uma porção muito menor de alimentos à base de plantas, legumes, frutas, ou grãos. Estavam indo para alterar essa relação para isso:

Prato com 2/3 preenchidos com alimentos ricos em fibras, alto nível de vitamina/mineral como grãos integrais (arroz integral, macarrão de trigo integral) ou leguminosas (grão de bico, lentilhas, feijão, ervilhas verdes e amarelas), vegetais amarelo/vermelho/verde (pimentas, verdes escuros, como espinafre, couve), frutas com alto conteúdo de água (maçãs, ameixas, laranjas, melão, damascos, pêssegos).

Prato com 1/3 preenchido com carne bovina, carne de porco, frango, peixe, ovos (ignorar se você incluir leguminosas e prefere vegetariano). Este 1/3 não deve ser maior do que um baralho de cartas. Evite carnes processadas como salsicha, bacon que contêm nitrito de sódio, um conservante associado com câncer. Também evitar queimar ou tostar (partes escuras). Estas proteínas animais com o calor ou alta temperatura produzem altos níveis de Aminas Heterocíclicas que são cancerígenas.

Evitar o microondas: quando bandejas plásticas são super-aquecidas, elas podem lançar Xenoestrogens, que pode agravar os desequilíbrios hormonais masculino/feminino e aumentar o risco de câncer. Se você tem microondas, esvazie o alimento em um prato de vidro e cubra com papel de cera. Ou, não compre alimentos congelados em bandeja.

Escolha orgânico, lave bem

Em segundo lugar, queremos evitar tantos produtos químicos em nossos alimentos quanto possível. Muitos frutas e vegetais produzidos comercialmente (grandes marcas) contêm pesticidas, vários dos quais são cancerígenos. Rótulos comerciais destes produtos não mencionam a quais produtos químicos foram expostos, então assume-se que eles foram. Aqui estão 3 opções para evitar esses produtos químicos:

Lave bem Frutas e Legumes antes de comer. Há no mercado atualmente produtos de lavagem disponíveis que removem esta química. Deixe de molho num recipiente por 15-20 minutos com 1 colher de hipoclorito de sódio, que pode ser encontradas nas farmácias. Morangos precisam de mais tempo, pois as sementes podem armazenar produtos químicos.

Comprar produtos orgânicos custos um pouco mais, mas eles são cultivados sem pesticidas.

Compro Local – produtos cultivados localmente são geralmente livre de conservantes químicos, porque eles não têm de viajar muito.

Plantar numa pequena horta seus próprios produtos se você tem espaço em seu jardim, uma horta pessoal pode ser um passatempo muito gratificante. Você tem a segurança de saber que está sem produtos químicos cancerígenos e ainda pode economizar muito dinheiro do supermercado!

Coma bastante fibra

Geralmente somos deficientes em fibra e comemos muita gordura saturada. Já a fibra é a chave para uma saudável, reduzindo o risco de câncer. A Fibra ajuda rapidamente a expelir os agentes cancerígenos e as gorduras saturadas que se alojam no seu intestino. Aqui está como fazê-lo:

Tenha como objetivo consumir 25 gramas por dia, você deve ler os rótulos para certificar-se de que está recebendo o suficiente.

Adicione mais cereais integrais – farinha de aveia no café da manhã, pão integral, para o almoço, arroz integral ou macarrão de trigo integral para o jantar. Consulte o prato de 2/3 acima.

Adicionar mais frutas e verduras na sua dieta – Devemos comer 5-6 porções de frutas e vegetais por dia. Tente comer o quanto puder, com exceção de tomates que liberam o licopeno que combate o câncer quando cozido.

Fazer gorduras trabalharem por você e não contra você

As gorduras, as corretas, devem fazer parte de uma dieta saudável. Comemos muito gorduras saturadas de origem animal e muito pouco gorduras insaturadas, mais saudáveis. Eu recomendo o seguinte: limitar as gorduras saturadas – não mais de 20 gramas por dia.

Comer nozes – Nozes e castanhas contêm gorduras boas como Omega-3 que são úteis para evitar câncer e são anti-inflamatórias. Várias castanhas ou nozes por dia são tudo que você precisa para colher benefícios. Evite mofo e aflatoxinas que se formam na refrigeração após a abertura e que são cancerígenas.

Use óleos para cozinhar como vegetais como óleo de oliva, coco, linhaça, cártamo. Manter temperaturas baixas (menos de 240 graus) ao cozinhar com estes óleos, ou adicioná-los aos alimentos mais tarde. Calor e alta temperatura fazem todos os óleos ficaram cancerígenos. Mantenha na geladeira e/ou armazenar em local fresco e escuro para evitar o ranço.

Adicione 1g de Omega-3s diariamente, peixes, krill, ou óleo de linhaça.

E não se esqueça…

Água : A dieta mais básica, reduz o risco da doença. Nossos corpos, dependendo do tamanho, são cerca de 70% de água! Precisamos de muita água todos os dias para manter nossos sistemas trabalhando corretamente expelindo as toxinas e carcinógenos.

Beber todos os dias bastante água limpa e filtrada podem manter esses agentes bem longe do seu sangue e aparelho digestivo evitando o acúmulo deles que pode causar problemas.

Se sua urina está clara o consumo de água/fluido é adequado. Se parece mais escura e mais pesada, você precisa de mais água. Lembre-se, a transpiração faz com que você perca mais líquidos, então você precisa repor água para ficar bem hidratado.

Suplementos: Um boa dica de sumplemento vitamínico é : vitamina C, vitamina E, selênio, beta-caroteno e vitamina d. Estas são anticancerígenas potências e deve ser parte de sua dieta saudável todos os dias.

Estas são algumas dicas para evitar o risco de câncer através de uma dieta saudável! São mudanças fáceis que têm um bônus de 3-em-1. Não só vai reduzir o risco de câncer, mas também irá diminuir o risco de doenças cardíacas e diabetes!

Mark Rosenberg, M.D.
UNOPress

__

1o. Simpósio Brasileiro Sobre o Potencial Terapêutico e de Prevenção da Vitamina D para a Saúde Humana

#DIVULGUE.  Veja como participar.

afolderviewer1

Pesquisa aponta eficácia no uso da vitamina D

__

O médico Cícero Coimbra explica que a vitamina D é atualmente considerada um pré-hormônio no meio científico [pois transforma diversas células do corpo humano no hormônio calcitriol, potencialmente capaz de modificar 229 funções biológicas no organismo]. Os pesquisadores hoje questionam a falta de conhecimento de muitos médicos, que estão receitando o uso de vitamina D, simplesmente, para o controle do Lúpus.

aCfoto1718

__

Cientistas de várias partes do mundo estão em busca de uma forma de combater o Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES) e, ao que tudo indica, a resposta está no uso de Vitamina D. Ao menos é o que mostram uma série de estudos e também o documentário do jornalista Daniel Cunha, “Vitamina D – Por uma outra terapia”, produzido no ano passado, que traz a história de seis pessoas, a maioria com esclerose múltipla, que tiveram suas vidas transformadas por um tratamento à base de vitamina D.

Em um site com o mesmo nome, diversas experiências positivas são relatadas pelos pacientes, além de informações sobre os cientistas que estão envolvidos em comprovar o que de fato a vitamina tem feito pelos portadores de doenças autoimunes. O Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES) é um mal que pode acometer pessoas de diferentes idades, embora seja mais comum entre os 20 e os 45 anos, quando os anticorpos começam a atacar o próprio organismo.

De acordo com a reumatologista Vicenzina Santangelo, de Rio Preto, o lúpus, em geral, afeta mais as mulheres jovens em idade reprodutiva do que os homens. “A proporção da doença em mulheres é de nove para um homem”, diz. Por outro lado, é muito menos observada em crianças e idosos acima dos 65 anos. “É interessante notar que nestes dois grupos etários e em homens a doença pode ser clinicamente diferente do que se observa em mulheres adultas”, afirma.

Doença tem múltiplas causas

A reumatologista Vincenzina Santângelo observa que embora desconhecida ainda a causa do Lúpus parece ser multifuncional e exige uma interação genética apropriada do hospedeiro com um antígeno ambiental relevante.
“Outros fatores que podem estar envolvidos na causa do lúpus são os vírus, os medicamentos, a luz ultravioleta e as influências hormonais”, diz.

Em São Paulo, os médicos já fazem uso da vitamina D desde 2011, quando foi criado o Instituto Autoimunidade, que visa a combater o Lúpus e demais doenças autoimunes. Fazem parte da proposta especialistas de diferentes áreas da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). O idealizador é o neurologista Cícero Galli Coimbra, que já tem inclusive trabalhos publicados com resultados de pacientes que se dizem livres da doença.

“Atualmente, essas pessoas possuem um nível normal de qualidade de vida, mantendo-se livres das agressões do sistema imunológico, ao ponto de considerarem-se ex-portadoras da doença”, explica Coimbra.

Alternativas de tratamento

Em geral, o Lúpus é tratado com corticosteroides e também outras alternativas além da vitamina D. Até mesmo o óleo de peixe tem sido recomendado como forma de conter a doença. E segundo o farmacêutico Marcell Lozovoy, professor da Faculdade Pitágoras, de Londrina, é importante lembrar que se discute também fatores ambientais, hormonais, imunológicos e genéticos como sendo associados ao desenvolvimento da doença.

“Pesquisas mostram que as alterações hormonais, em especial a diminuição da testosterona, estão associadas à doença”, afirma. Apesar disso, os estudos não explicam o que leva à autoimunidade nestes pacientes. Por outro lado, os medicamentos, quando bem indicados, têm ampla resposta no controle da enfermidade que, quando descompensada, gera inflamações resultando em dores articulares e dificuldade de mobilidade. O paciente que segue o tratamento de forma adequada e não apresenta atividade da doença não tem restrições físicas e funcionais significativas.

Vitamina ou hormônio?

O médico Cícero Coimbra explica que A vitamina D é atualmente considerada um pré-hormônio no meio científico (pois transforma diversas células do corpo humano no hormônio calcitriol, potencialmente capaz de modificar 229 funções biológicas no organismo). Os pesquisadores hoje questionam a falta de conhecimento de muitos médicos, que estão receitando o uso de vitamina D, simplesmente, para o controle do Lúpus.

Segundo o cientista Reinhold Vieth, professor dos departamentos de Medicina Laboratorial e Patobiologia e de Ciências Nutricionais da Universidade de Toronto, em recente evento na Europa, o que efetivamente faz diferença no controle das doenças autoimunes é o calcidiol convertido em um hormônio ativo, o calcitriol.

Além disso, o cientista afirma que a vitamina D apenas é uma vitamina, no verdadeiro sentido da palavra, e que em “quantidades insuficientes na dieta podem causar doenças de deficiência”. Mas a reposição com calcidiol tem a indicação para o tratamento de enfermidades autoimunes.

Outras aplicações do ‘pré-hormônio’

Em Rio Preto, quem está acompanhando o uso do préhormônio calcitriol (obtido a partir da vitamina D) com bastante atenção é a farmacêutica Liliamaura Gonçalves de Lima, de Rio Preto. Ela explica que os atuais estudos estão mais direcionados para a esclerose múltipla. “Embora também estejam voltados para demais doenças autoimunes, incluindo lúpus, artrite reumatoide, diabetes tipo 1, entre outras”, afirma.

Recentemente, foram divulgados os resultados deumestudo pela Universidade de Oxford, na Inglaterra, que identificouumgene responsável pela deficiência de Vitamina D e que pode também ser a causa para a esclerose múltipla. Deformações no gene CYP27B1 estariam na base da resistência à vitamina D, bem como do desenvolvimento da esclerose múltipla.

A farmacêutica observa que existem mais de 3,5 mil publicações que evidenciam a relação entre deficiência de vitamina D (ou colecalciferol) e esclerose múltipla, lúpus, bem como outras doenças autoimunes, o que não justifica algumas críticas de que não há fundamentação científica para o uso do pré-hormônio.

 

http://www.diarioweb.com.br/novoportal/Noticias/Saude/139559,,Pesquisa+aponta+eficacia+no+uso+da+vitamina+D.aspx
__

Deficiência de vitamina D facilita propagação da hepatite B no fígado

__

Deficiência de vitamina D facilita propagação da hepatite B no fígado. É o que mostra estudo de pesquisadores do Johann Wolfgang Goethe University Hospital, na Alemanha.

ahepatitis_virus_collage

Pesquisa sugere que a vitamina D pode ser usada como uma intervenção terapêutica para controlar o HBV.

Os resultados foram publicados na revista Hepatology.

“A vitamina D ajuda a manter um sistema imunológico saudável e não há evidência de seu papel na doença hepática inflamatória e metabólica, incluindo a infecção pelo vírus da hepatite C (HCV). No entanto, a relação entre o metabolismo da vitamina D e infecção crônica pelo vírus HBV, da hepatite B permanece desconhecida e é o foco de nosso estudo”, explica o investigador principal Christian Lange.

Entre janeiro de 2009 e dezembro de 2010, a equipe recrutou 203 pacientes com infecção por HBV que não haviam recebido tratamento prévio para a infecção. Níveis de vitamina D foram medidos a partir de cada participante.

Os resultados mostraram que 34% dos participantes tinham grave deficiência de vitamina D (menos do que 10 ng / mL), 47% tinham deficiência de vitamina D (entre 10-20 ng / mL) e 19% tinham níveis normais de vitamina D (superior a 20 ng / ml). Outras análises indicam que a concentração de HBV no sangue, conhecida como a carga viral, era um forte indicador de níveis baixos de vitamina D.

English: Johann Wolfgang Goethe University, Fr...

English: Johann Wolfgang Goethe University, Frankfurt am Main. (Photo credit: Wikipedia)

Os pesquisadores também determinaram que os pacientes com o antígeno da hepatite B (HBeAg) tinham níveis mais baixos de vitamina D  que os participantes HBeAg negativos. Flutuações sazonais inversas entre os níveis de vitamina D e de HBV foram observadas,  o que sugere também uma relação entre as duas variáveis.

“Nossos dados confirmam uma associação entre baixos níveis de vitamina D e altas concentrações de HBV no sangue. Estes resultados diferem de estudos anteriores  de  pacientes com hepatite C crônica,  que não encontraram nenhuma ligação entre os níveis de vitamina D e a concentração de HCV no sangue”, afirma Lange.

_

Os autores propõem uma investigação mais aprofundada sobre a vitamina D como uma intervenção terapêutica para controlar o HBV.

Fonte isaude.net

__

Não patenteiem meus genes! Liberem os genes do câncer da mama!

 

Você sabia que as empresas privadas podem patentear genes em seu corpo? Uma empresa chamada Myriad Genetics “possui” dois genes conhecidos como genes BRCA 1 e BRCA2 ou Breast Cancer 1 e câncer de mama 2 . Mulheres com certas mutações nestes genes têm uma forte chance de câncer de mama ou de ovário.Isso tem implicações muito perigosas para a saúde da mulher e da pesquisa científica .O governo não deve conceder às entidades de controle privado algo tão pessoal e fundamental para o corpo humano como nossos genes. Além disso, a concessão de patentes limitam a pesquisa científica, a aprendizagem e o fluxo livre de informação viola a Primeira Emenda.A ACLU argumenta o caso contra patentes de genes perante a Suprema Corte dos EUA em 15 de abril de 2013. Esperamos que uma decisão neste verão.

A empresa Myriad Genetics tem uma patente de dois genes, BRCA1 e BRCA2, ambos intimamente associado com câncer de mama e de ovário. Assim, a Myriad controla a pesquisa sobre os genes, o preço do teste e sua capacidade de obter uma segunda opinião. Patenteamento de genes tem implicações perigosas para a nossa saúde e que recentemente desafiou as patentes sobre BRCA1/BRCA2 no Suprema Corte.  Saiba mais sobre os riscos do patenteamento de genes a partir da perspectiva de um paciente:  https://www.aclu.org/free-speech-technology-and-liberty-womens-rights/patents-human-genes-patients-perspective.

 

ageneA

Mastectomia de Angelina Jolie alimenta negócio bilionário

 

__

 (…) “De acordo com o site americano de saúde, Natural Health News, o anúncio de Angelina causou pânico nas mulheres, que acreditam que a mutilação é a única opção para elas.

Mas a companhia denuncia: por trás desse anúncio de Jolie pode estar um negócio bilionário, já que a empresa Myriad Genetics patentou os genes BRCA 1, e agora somente eles, no mundo todo, é que podem fornecer esse exame, que em alguns países, como no Brasil, pode chegar a custar R$ 7 mil. (…)

(…) desde que a atriz fez pública sua situação, aumentou consideravelmente o número de mulheres querendo fazer a polêmica cirurgia, mesmo estando saudáveis.  (…)

agenes

 

Leia: Câncer de mama: a vitamina D ou mastectomia.

__

Especialistas médicos criticam a decisão da atriz de promover o exame que detecta os genes BRCA1

 

De famosos a especialistas médicos. Todos deram sua opinião sobre a decisão de Angelina Jolie de submeter-se a uma dupla mastectomia preventiva, já que ela tem uma alta porcentagem de vir a sofrer câncer de mama no futuro.

Mas sua decisão deixou parte do corpo médico bastante preocupado, pois desde que a atriz fez pública sua situação, aumentou consideravelmente o número de mulheres querendo fazer a polêmica cirurgia, mesmo estando saudáveis.

De acordo com o site americano de saúde, Natural Health News, o anúncio de Angelina causou pânico nas mulheres, que acreditam que a mutilação é a única opção para elas.

Mas a companhia denuncia: por trás desse anúncio de Jolie pode estar um negócio bilionário, já que a empresa Myriad Genetics patentou os genes BRCA 1, e agora somente eles, no mundo todo, é que podem fornecer esse exame, que em alguns países, como no Brasil, pode chegar a custar R$ 7 mil.

Médica fala sobre o apoio de Brad Pitt durante as cirurgias de Angelina Jolie
Para o jornalista especializado, da Natural Health, Mike Adams, a decisão de Angelina de dizer ao mundo, não foi nada valente, e sim uma triste forma de aterrorizar as mulheres com falsas estatísticas de câncer de mama, incitando à auto-mutilação e paranoia.

“Angelina Jolie é parte de um astuto plano corporativo desenhado para proteger milhões de dólares em patentes de genes BRCA, e influir na decisão da Corte Suprema dos Estados Unidos”, acusa.

O site financeiro MarketWatch também criticou a atriz:

“Ela simplesmente se nega a dizer a essas mulheres que a cirurgia não é a única opção preventiva, que existe tratamento preventivo, sem ter de tomar essa decisão tão dramática. O que Angelina provocou:

1)  Que mulheres assustadas corressem a fazer esses caros exames por medo, aumentando ainda mais o fluxo da companhia.

2)  Seu anúncio fez com que as ações da Myriard Genetics (MYGN) aumentassem na bolsa. No dia do anúncio, depois da publicação no New York Times, a companhia fechou em alta.

3)  Seu anúncio fez com que a opinião pública influenciasse na decisão da Corte Suprema de Justiça para legislar a favor da privativação dos genes humanos. Angelina Jolie está enganando todas as mulheres do mundo. O que ela fez, literalmente, foi vender as mulheres à indústria do câncer, com fins lucrativos.

4)  As ‘declarações’ de Jolie foram publicadas dias antes de que a Corte expedisse sobre a viabilidade de patentar genes BRCA1″.

E continua:

“Investigadores especializados, conselheiros genéticos, pacientes mulheres, sobreviventes de câncer, instituições de câncer de mama, grupos de saúde das mulheres, e associações científicas que representam a 150 mil geneticistas, patólogos e profissionais de laboratório, argumentam que os genes humanos não podem ser patentados porque são produto da natureza. A intenção de patentar genes humanos viola os exames de diagonóstico e investigação que poderiam conduzir a uma cura, limitando as opções das mulheres com respeito à sua atenção médica”.

Alguns acreditam que a mulher de Brad Pitt também foi enganada. Um médico especialista, consultado pela publicação afirma que todas as pessoas tem microcélulas cancerígenas no corpo, e que algunas desenvolvem a doença, enquanto outras não.

A boa alimentação preventiva, e tratamentos específicos preventivos, podem ajudar mais do que a auto-mutilação.

Avalie esta Matéria
1

A vitamina D supera a vacina contra a gripe

__

Vitamina D é melhor do que a vacina da gripe para parar as infecções do H1N1. De fato, sem a vitamina D, as possibilidades são de que em primeiro lugar a vacina não vai gerar muitas das respostas de imunidade.

Holding vitamin capsule

[Mike Adams] Vitamina D é melhor do que a vacina da gripe para parar as infecções do H1N1. De fato, sem a vitamina D, as possibilidades são de que em primeiro lugar a vacina não vai gerar muitas das respostas de imunidade.
Isso por que a vitamina D é essencial para a saúde, ativa a função de imunidade. Esta é apenas uma das razões que pessoas inteligentes estão escolhendo a vitamina D em vez de vacina da gripe suína. Aqui estão mais dezenove razões:
1 –   A vitamina D ativa seu sistema de proteção para responder a qualquer exposição viral (não apenas a um vírus);
2 –   A vitamina D é parte natural do seu corpo;
3 –   A vitamina D tem funcionado como remédio no corpo humano desde o início da espécie humana;
4 –   A vitamina D está disponível agora mesmo e não há escassez dela;
5 –   A vitamina D não vai causar uma inflamação no seu cérebro e colocar você em coma;
6 –   A vitamina D não requer uma injeção com uma agulha assustadora;
7 –   A vitamina D é encontrada naturalmente em muitos alimentos como sardinha e salmão;
8 –   A vitamina D tem um registro de segurança. Ninguém nunca morreu por consumi-la;
9 –   A vitamina D está disponível. Você pode até consegui-la de graça (da luz do sol);
10 – A vitamina D não contém fragmentos de vírus de animais doentes (como as vacinas frequentemente têm);
11 – A vitamina D não contém Thimerosal ou outros preservativos químicos;
12 – A vitamina D não contém uma folha de advertências descrevendo possíveis efeitos colaterais;
13 – A vitamina D não fere o seu braço quando você toma;
14 – A vitamina D também melhora o metabolismo do açúcar, a densidade óssea e o temperamento saudável;
15 – A vitamina D é segura para o meio ambiente;
16 – A vitamina D não contém Esqualeno ou outros agentes químicos inflamatórios;
17 – A vitamina D funciona em qualquer pessoa e é segura para todos, incluindo bebês e crianças;
18 – A vitamina D é feita pela natureza, não em laboratório;
19 – A vitamina D é encontrada naturalmente no leite do seio;
20 – Você pode caminhar, e mastigar goma de mascar, e produzir vitamina D a partir da luz do sol tudo ao mesmo tempo.

 
Mike Adams é um defensor da saúde do consumidor com uma paixão por ensinar as pessoas como melhorar a sua saúde. NaturalNews.com

 

___

 

Câncer de mama: a vitamina D ou mastectomia

 

__

 

“(…) sua forma muitas vezes letal de câncer de mama tende a atacar as mulheres mais jovens e é resistente aos tratamentos existentes , mas Gonzalo e seus colegas agora acreditam que a VITAMINA D poderia ser um tratamento para muitas mulheres com esta forma mortal de câncer de mama. “

 

__

 

 

Did Angelina Jolie choose the best option for preventing breast cancer? Because having surgery to remove both breasts is a personal choice, we may never have the answer to this question. However, a double mastectomy does not have to be the only choice a woman has.

 

 

English: pink ribbon

English: pink ribbon (Photo credit: Wikipedia)

 

According to an article in Natural News, investigators for The Journal of Cell Biology, led by Susana Gonzalo, Ph.D., assistant professor of biochemistry and molecular biology at Saint Louis University, ‘… (researchers) have found a molecular pathway that contributes to triple-negative breast cancer. This often deadly form of breast cancer tends to strike younger women and is resistant to existing treatments, but Gonzalo and colleagues now believe vitamin D could be a treatment for many women with this deadly form of breast cancer.’

The research team identified a pathway of molecules in women who are born with BRCA1 gene mutations, which increases their risk for developing breast and ovarian cancers. Tumors grow when the pathway is activated. These tumors don’t respond to standard cancer treatments such as chemotherapy.

It was found that vitamin D turned the molecular pathway off. A study conducted at the German Cancer Research Center with researchers from the University Hospitals in Hamburg-Eppendorf, published in the medical journal Carcinogenesis, showed evidence that women with low blood levels of vitamin D had a much greater risk of breast cancer. In fact, women who had been diagnosed with the most aggressive form of breast cancer had low blood levels of vitamin D.

As many as 1 in 500 women in the US carry the genetic mutation that increases their risk for breast cancer by 60 percent. Even with these high odds against them, women can choose to closely monitor for signs of cancer and begin a regimen of vitamin D supplements.

There have been many recent discoveries in cancer research which give hope to people battling all forms of cancer. We now know about the increased risk of cancer by eating processed meats with sodium nitrates. This includes hot dogs, lunch meats, canned meats, sausage, bacon and frozen meals with meat.

Eating whole foods that have not been genetically altered, fresh organic fruits and vegetables and meat from farms that hasn’t been pumped full of antibiotics and growth hormones is a healthy way to reduce cancer risks. Spicing foods with Turmeric is another way to decrease the risk of cancer.

Although many cures have been found for several types of cancer, they are not well known. For instance, adding vitamin D to your cancer-fighting regimen does not earn money for doctors who make a living treating patients with chemotherapy and radiation. As sad as it is, cancer is a money-making machine. Natural cures are dismissed by the mainstream medical researchers because there is no money in them.

With all of the billions of dollars poured into cancer research in the last 50 years, isn’t it a bit odd that so few cures and treatments have been found? Or have they? There are nearly 100 cancer research institutes in America who operate on donations. If simple, natural cures for cancer were found, thousands of people would be out of a job. It would be counter-productive to find a cure that is safe and affordable.

What do you think? Are there more cures for cancer than we are aware of or do you believe that cancer is destined to be with mankind forever? Please comment and share your thoughts on this subject.

http://www.examiner.com/article/breast-cancer-vitamin-d-or-mastectomy

__

 

 

 

Vitamina D, a vitamina do Sol, ajuda no tratamento de asma

__

A irresponsabilidade de muitos dermatologistas em não se atualizarem como médicos, ou informarem honestamente a população, atende aos interesses financeiros dos fabricantes de protetores solares e prejudica a saúde de inúmeras pessoas em diferentes níveis de gravidade, inclusive levando à morte parcela delas.

Celso Galli Coimbra – OABRS 11352

afiltro-solar

__

21/05/13 – BBC

Tomar sol tem um efeito positivo para os pacientes que sofrem de asma.

Cientistas da Universidade King’s College, de Londres, mostraram uma ligação direta entre baixos níveis de vitamina D, que é fabricada pelo corpo durante a exposição ao Sol, e a piora dos sintomas da asma.

aimagem-asma

As pessoas que têm asma apresentam dificuldades para respirar quando suas vias aéreas ficam inchadas, inflamadas e contraídas, e elas geralmente são tratadas com esteroides, mas nem todos respondem bem.

O trabalho revela que o contato com a luz solar “acalma” uma parte do sistema imunológico que é estimulada em excesso pela asma.

Já se sabia que a vitamina D é essencial para ativar o sistema imunológico e, há poucos dias, pesquisadores escoceses alertaram que as campanhas contra o câncer de pele estão tendo um efeito colateral grave quanto aos benefícios de se tomar Sol:

 asol

“Nós sabemos que pessoas com altos níveis de vitamina D conseguem controlar melhor sua asma – esta conexão chama bastante a atenção,” disse a pesquisadora Catherine Hawrylowicz.

A equipe da cientista investigou o impacto da vitamina em uma substância química do corpo humano, a interleucina-17, uma parte vital do sistema imunológico que ajuda a combater infecções.

Entretanto, a substância também pode causar problemas quando atinge níveis muito altos e já foi relacionada intensamente à asma.

O estudo mostrou que a vitamina D reduz os níveis de interleucina-17 nos pacientes.

A equipe está realizando agora uma série de testes clínicos para ver se a administração de vitamina D como suplemento pode substituir a exposição ao Sol para a sintetização natural do composto.

Fontes: BBC e http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=vitamina-d-tratamento-asma&id=8862&nl=nlds

__

Vitamina D, a vitamina do sol, pode ajudar no tratamento de asma

James Gallagher

Repórter de Ciência e Saúde da BBC News

Atualizado em  20 de maio, 2013 – 10:28 (Brasília) 13:28 GMT
Luz solar | Foto: BBCExposição à  luz solar pode ajudar  pacientes de  asma  que  não  respondem  bem a esteróides

O tempo que pacientes que sofrem de asma ficam sob a luz do sol pode ter um impacto sobre os efeitos da doença,  revela um estudo de uma equipe de cientistas da universidade King’s College, de Londres.

A pesquisa indica uma relação entre baixos níveis de vitamina D, que é fabricada pelo corpo durante a exposição ao sol, à piora dos sintomas da asma.

Dentre os resultados do trabalho, os especialistas descobriram que o contato com a luz solar “acalma” uma parte do sistema imunológico que é estimulada em excesso pela asma.

O tratamento de pacientes asmáticos com a administração de vitamina D, no entanto, não foi testado pelo estudo.

As pessoas que têm asma apresentam dificuldades para respirar quando suas vias aéreas ficam inchadas, inflamadas e contraídas, e elas geralmente são tratadas com esteroides, mas nem todos respondem bem.

Controle

“Nós sabemos que pessoas com altos níveis de vitamina D conseguem controlar melhor sua asma – esta conexão chama bastante a atenção”, disse a pesquisadora Catherine Hawrylowicz.

A equipe da cientista investigou o impacto da vitamina em uma substância química do corpo humano, interleucina-17.

Trata-se de uma parte vital do sistema imunológico que ajuda a combater infecções.

Entretanto, ela também pode causar problemas quando atinge níveis muito altos e já foi relacionada intensamente à asma.

Neste estudo, divulgado na publicação especializada Journal of Allergy and Clinical Immunology, a vitamina D foi capaz de reduzir os níveis de interleucina-17 em 28 pacientes.

Testes clínicos

A equipe do King’s College realiza agora uma série de testes clínicos para ver se a administração de vitamina D pode realmente ajudar os pacientes de asma a lidarem melhor com os sintomas da doença.

O foco do estudo deve ser os pacientes que não respondem bem aos esteroides, e produzem sete vezes mais interleucina-17 do que os outros.

“Nós acreditamos que tratar as pessoas com vitamina D pode fazer com que os pacientes resistentes aos esteroides passem a responder a eles ou permitam que aqueles que já conseguem controlar sua asma tomem menos esteroides”, disse Hawrylowicz.

A especialista explica que uma cultura de se cobrir no sol e usar protetor solar pode ter aumentado as taxas de asma, mas ela aproveita para alertar que “sol demais faz mal”.

Efeitos colaterais

Malayka Rahman, da organização de caridade britânica voltada para o tratamento e esclarecimento sobre asma, a Asma UK, valoriza os resultados do trabalho.

“Para a maioria das pessoas com asma, os remédios atualmente disponíveis são uma forma efetiva de controlar a doença, mas nós sabemos que eles não funcionam para todos, e é por isso que pesquisar novos tratamentos é vital”, disse.

Ela também menciona o fato de muitos destes medicamentos apresentarem efeitos colaterais – algo que poderia ser aliviado com uma diminuição da quantidade de remédios ingeridos pelos asmáticos.

“Também sabemos que muitas pessoas com asma se preocupam com os efeitos adversos dessas drogas, então se a vitamina D reduzir a quantidade de remédios necessária, isto teria um impacto enorme na qualidade de vida desses pacientes”, afirmou.

___

O que você não sabe ou reconhece pode prejudicar a sua saúde

A doença celíaca cujo local mais afetado é o trato gastrointestinal – é uma das doenças autoimunes mais mal diagnosticadas, de acordo com Peter H. R. Green, diretor do Centro de Doença Celíaca da Universidade Columbia. Os motivos vão desde o fato de que até bem pouco tempo a doença era considerada rara – portanto os médicos não a investigavam – ao desconhecimento por parte da classe, uma vez que a doença celíaca não fazia parte de muitos programas médicos educacionais. Felizmente, isso está mudando.

Depois de passar, pelo menos, vinte anos da minha vida tendo fortes e inexplicáveis dores de cabeça, ser submetida a diversos tratamentos para corrigir anemia (baixa quantidade de ferro/ferritina) e ser acometida, ainda relativamente jovem, com problemas de osteopenia nos quadris com evolução para osteoporose, desenvolvi mais uma doença autoimune a Artrite Reumatóide. Falta de sorte? Não, falta de diagnóstico!

___

Eu era celíaca e não sabia! Hein? Sim, é isso mesmo! Celíaco é o nome dado às pessoas que não podem ingerir trigo ou, mais corretamente, glúten: proteína encontrada naturalmente no trigo, centeio e cevada. Escondido em alimentos como pizzas, massas, pães, cervejas, molhos e um número infinito de produtos industrializados, incluindo medicamentos, o glúten pode estar destruindo a saúde de muitas pessoas sem que elas saibam. E aqui começa o nosso suposto problema ou a solução para ele.

aceliaca

A doença celíaca cujo local mais afetado é o trato gastrointestinal – é uma das doenças autoimunes mais mal diagnosticadas, de acordo com Peter H. R. Green, diretor do Centro de Doença Celíaca da Universidade Columbia. Os motivos vão desde o fato de que até bem pouco tempo a doença era considerada rara – portanto os médicos não a investigavam – ao desconhecimento por parte da classe, uma vez que a doença celíaca não fazia parte de muitos programas médicos educacionais. Felizmente, isso está mudando.

Depois de passar, pelo menos, vinte anos da minha vida tendo fortes e inexplicáveis dores de cabeça, ser submetida a diversos tratamentos para corrigir anemia (baixa quantidade de ferro/ferritina) e ser acometida, ainda relativamente jovem, com problemas de osteopenia nos quadris com evolução para osteoporose, desenvolvi mais uma doença autoimune a Artrite Reumatóide. Falta de sorte? Não, falta de diagnóstico!

Nas doenças autoimunes o corpo ataca a si próprio. E na doença celíaca as células do sistema imunológico danificam as vilosidades do intestino delgado provocando uma inflamação, ou seja, elas destroem a porção do intestino responsável pela absorção de nutrientes necessários à manutenção da boa saúde.

O glúten é a proteína responsável por desencadear o processo inflamatório. As células do sistema imunológico presentes na sua maioria no trato digestivo e encarregadas da defesa do organismo tratam o glúten como se este fosse um impostor, e travam uma verdadeira batalha para destruir o invasor. No combate, as partes afetadas são, exatamente, as vilosidades, encarregadas de digerir e absorver os alimentos.

Diferentes porções do intestino delgado têm a função de absorver nutrientes distintos. Por exemplo, além de outros, o ferro e o cálcio são absorvidos na chamada porção proximal do intestino delgado: local onde a doença celíaca causa mais danos. Ora, não é de admirar os problemas que enfrentei com repetidos quadros de anemia e infindáveis diagnósticos de osteopenia que acabaram evoluindo para osteoporose: ainda assim a doença celíaca, por vezes silenciosa, seguiu seu curso sem levantar suspeitas e sem ser diagnosticada, até o aparecimento da segunda doença autoimune.

Hoje é perfeitamente documentado e conhecido o fato de que as doenças autoimunes tendem a aparecer em pares, ou seja, se você desenvolver uma é provável que desenvolva a segunda.

O The New Journal of Medicine catalogou pelo menos 55 doenças relacionadas à doença celíaca ou à intolerância ao glúten. Entre elas encontramos a artrite reumatóide, a esclerose múltipla, a ataxia cerebelar, a doença de Hashimoto, a osteoporose e outras. O problema maior é que como a doença celíaca nem sempre é apontada como uma das possíveis causas de doenças autoimunes, muitas vezes os pacientes iniciam o tratamento dos sintomas sem eliminar a causa. O que pode, com o passar do tempo, levar ao agravamento da doença autoimune.

No entanto, segundo pesquisadores, cientistas e médicos não é o glúten que torna o trigo que consumimos um “veneno perfeito e crônico”, mas sim o fato de que hoje usamos uma qualidade de trigo geneticamente modificado com características muito diferentes do trigo que usávamos há cinqüenta anos. E isto explica, em parte, por que a doença celíaca, considerada rara no passado, deixou de ser tão rara assim e hoje afeta um em cada 133 americanos. No Brasil, embora os números não sejam conhecidos, estima-se que a situação seja mais ou menos semelhante.

Com a evolução de ambas as doenças autoimunes, há dois anos eu precisei andar com o auxílio de uma bengala e as horas produtivas do meu dia foram muito reduzidas, devido às frequentes pausas para descanso. O cansaço produzido pelas inflamações era tão grande que não restava energia para outra coisa a não ser dormir. Sem medicamentos e com uma dieta alternada e 100% sem glúten recuperei a minha saúde e qualidade de vida. Hoje faço exercícios cardiológicos e musculação três vezes por semana sem nenhuma restrição ou limitação física. A bengala virou estória!

Assim como eu, se você também tem ou suspeita ter a doença celíaca ou qualquer outra doença autoimune, procure o seu médico e converse com ele. Insista e não desista! Mas lembre-se: uma dieta bem balanceada e 100% sem glúten poderá fazer milagres pela saúde do seu corpo. Se eu consegui você também pode conseguir o mesmo. O antigo ditado, “Você é o que você come!”, vem provando ser uma grande verdade.

Referências:

Celiac Disease The Hidden Epidemic by Peter H.R. Green

The Autoimmune Epidemic by Donna Jackson Nakazawa

Fora estudos práticos, as informações desse artigo foram baseadas em pesquisas conduzidas pelo autor e estas não devem substituir o seu relacionamento com médicos qualificados e não devem ser entendidas como um conselho médico. A intenção é partilhar conhecimento e informação vindos a partir de pesquisas e experiências da autora. A autora encoraja a todos que façam suas próprias decisões médicas levando em conta suas próprias pesquisas auxiliadas por profissional médico qualificado.

Rosanne Martins é bióloga, química, terapeuta holística, coach, palestrante motivacional e autora do livro Por que sonhar se não para realizar? Site da autora: http://www.rosannemartins.com.br.

__

%d blogueiros gostam disto: