Vitamina D3: “O meu médico disse que não há evidência científica” – Pergunte: mas ele não sabe que é um pró-hormônio esteroide da mesma família da testosterona e progesterona, vital para a imunidade inata?

Em 2003, foi publicado no British Medical Journal uma revisão sistemática sobre eficácia do uso de paraquedas em pacientes que pulam de grandes alturas.

A revisão indicou ausência de ensaios clínicos randomizados para esta conduta.

Foi uma forma inteligente de demonstrar que nem tudo necessita de evidências experimentais.

Aquele artigo inspirou a criação dos termos “paradigma do paraquedas” e “princípio da plausibilidade extrema”.

A insulina foi descoberta em 1921 para tratar diabéticos. Ninguém questionou a “ausência de evidência científica”, pois tratava-se de um hormônio e não usá-lo causaria a morte do paciente.

Desde a década de 30 do século passado, é conhecido na Medicina que a Vitamina D3 é um hormônio, mas ainda hoje os crédulos ou maliciosos manipuladores da “Teoria dos Paraquedas” cobram a realização de “evidências experimentais”, que se forem realizadas no Brasil, determinarão a incidência do Artigo 132 do Código Penal (“colocar em risco a saúde ou a vida de terceiros”) ou do Artigo 121 (“matar alguém”).

É obrigação médica compensar deficiências. Não é admissível ignorância sobre a natureza hormonal da D3 e sua relação vital com a imunidade inata.

A cultura da vacina impõe hoje a busca por uma providência que pode ser igual ou pior que a pandemia, devido à óbvia ausência de testagens de médio e longo prazos, e a persistente ignorância médica e de governos de que a imunidade inata humana, da qual depende a adquirida, é deficiente em mais de 90% da população mundial por deficiência grave de doses realistas do pró-hormônio esteroide, equivocadamente chamada de “vitamina” D3.

Celso Galli Coimbra OABRS 11352

Publicado em Biodireito. Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Leave a Comment »

Mais de 100 cientistas, médicos e autoridades importantes pedem aumento do uso de vitamina D para combater COVID-19 – Evidência científica indica que vitamina D reduz infecções e mortes

Dr. Cícero Galli Coimbra, MD, PhD, Professor Livre - Docente - CREMESP 55714 - Responsável pela criação e administração deste Site informativo de publicações científicas: Dr. Celso Galli Coimbra, OABRS 11352

VitaminDforAll

Original em inglês:https://vitamindforall.org/letter.html

Evidência científica indica vitamina D reduz infecções e mortes

7 de dezembro de 2020

A todos os governos, funcionários de saúde pública, médicos e profissionais de saúde,

[Residentes dos EUA: Envie “VitaminDforAll” para 50409 para enviar ao governador do seu estado, gratuitamente.]

A pesquisa mostra que os baixos níveis de vitamina D quase certamente promovem infecções, hospitalizações e mortes por COVID-19. Dada a sua segurança, w e apelo a uma maior ingestão de vitamina D generalizadas imediatos .

A vitamina D modula milhares de genes e muitos aspectos da função imunológica, tanto inata quanto adaptativa. A evidência científica 1 mostra que:

Níveis mais elevados de vitamina D no sangue estão associados a taxas mais baixas de infecção por SARS-CoV-2.

Níveis mais altos de D estão associados a menor risco de um caso grave (hospitalização, UTI ou morte).

Estudos de intervenção (incluindo ECRs) indicam que a…

Ver o post original 4.905 mais palavras

07.12.2020: Vitamina D para a prevenção e tratamento da Covid | o documento da Academia de Medicina de Torino * Vitamina D per la prevenzione e il trattamento del Covid | il documento dell’Accademia di Medicina di Torino 

Dr. Cícero Galli Coimbra, MD, PhD, Professor Livre - Docente - CREMESP 55714 - Responsável pela criação e administração deste Site informativo de publicações científicas: Dr. Celso Galli Coimbra, OABRS 11352

“Vários estudos mostram que nos pacientes mais graves, muitas vezes há uma deficiência significativa de vitamina D“

“Vitamina D para a prevenção e tratamento da Covid | o documento da Academia de Medicina de Torino

 

“O documento desenvolvido pela Academia de Medicina de Torino com o objetivo de fornecer às instituições uma contribuição útil e suporte científico no combate à pandemia covid-19 concentra-se nos efeitos positivos da vitamina D. O grupo de trabalho coordenado pelo prof. de Geriatria da Universidade de Torino, Giancarlo Isaia e pelo prof. da Farmacologia, Antonio D’Avolio, composto por 61 médicos de diferentes cidades italianas, enviou o escrito às autoridades de saúde nacionais e regionais, resumindo as evidências científicas mais recentes e convincentes sobre os benefícios da vitamina D, tanto na prevenção como nas complicações do coronavírus.  

“Sem estratégia defensiva

Embora a epidemia de coronavírus tenha se manifestado e se disseminado com características peculiares…

Ver o post original 347 mais palavras

Novas evidências sugerem que a COVID-19 pode ser um tipo de doença auto-imune. Aqui está o porquê * New Evidence Suggests COVID-19 Could Be a Kind of Autoimmune Disease. Here’s Why

Dr. Cícero Galli Coimbra, MD, PhD, Professor Livre - Docente - CREMESP 55714 - Responsável pela criação e administração deste Site informativo de publicações científicas: Dr. Celso Galli Coimbra, OABRS 11352

“O fato de uma pessoa com COVID-19desenvolverou nãodoença grave depende muito de como osistema imunológicoreage aocoronavírus.

“Mas os cientistas ainda não sabem por que algumas pessoas desenvolvem doenças graves, enquanto outras apresentam apenas sintomas leves – ou nenhum sintoma. Agora, umnovo estudo da Universidade de Yale lança alguma luz sobre o assunto.

“A pesquisa, que ainda não foi revisada por pares e publicada em um jornal, sugere que, em pacientes com COVID grave, o corpo produz “autoanticorpos”. Sãoanticorposque – em vez de atacar ovírusinvasor- atacam o sistema imunológico e os órgãos do próprio paciente.

“Os pesquisadores descobriram que as pessoas com COVID grave tinham autoanticorpos que se prendiam a proteínas essenciais envolvidas no reconhecimento, alerta e eliminação de células infectadas com o coronavírus.

“Essas proteínas incluem citocinas e quimiocinas – mensageiros importantes no sistema imunológico. Isso interferia no funcionamento normal…

Ver o post original 541 mais palavras

Junho de 2014: Narcolepsia como doença autoimune: o papel da infecção pelo H1N1 e da vacinação * Narcolepsy as an autoimmune disease: the role of H1N1 infection and vaccination – ScienceDirect

Dr. Cícero Galli Coimbra, MD, PhD, Professor Livre - Docente - CREMESP 55714 - Responsável pela criação e administração deste Site informativo de publicações científicas: Dr. Celso Galli Coimbra, OABRS 11352

“Resumo

“A narcolepsia é um distúrbio do sono caracterizado pela perda de neurônios de hipocretina (orexina) hipotalâmica . A prevalência da narcolepsia é de cerca de 30 por 100.000 pessoas, e a idade típica de início é de 12 a 16 anos. A narcolepsia está fortemente associada ao genótipo HLA-DQB1 * 06: 02 e foi considerada uma doença imunomediada. Outros genes de risco, como a cadeia α do receptor de células T e o subtipo 2Y11 do receptor purinérgico , também estão implicados. O interesse pela narcolepsia aumentou desde as observações epidemiológicas de que a infecção pelo H1N1 e a vacinação são fatores desencadeantes em potencial e um aumento na incidência de narcolepsia após a pandemia de AS03A vacinação H1N1 com adjuvante em 2010 da Suécia e Finlândia apoia a patogênese imunomediada . As observações epidemiológicas de estudos na China também sugerem um papel para as infecções pelo vírus H1N1…

Ver o post original 40 mais palavras

Fevereiro de 2021: Análise retrospectiva da correlação entre os níveis séricos de vitamina D e os níveis de aminoácidos no sangue em crianças com autismo: Exploração de possíveis mecanismos do efeito da vitamina D no autismo * Retrospective analysis of the correlation between serum vitamin D levels and blood amino acids levels in children with autism: Exploration of possible mechanisms of the effect of vitamin D on autism  – ScienceDirect  – Research in Autism Spectrum Disorders

Dr. Cícero Galli Coimbra, MD, PhD, Professor Livre - Docente - CREMESP 55714 - Responsável pela criação e administração deste Site informativo de publicações científicas: Dr. Celso Galli Coimbra, OABRS 11352

“Destaques

• Nossos estudos anteriores descobriram que os níveis séricos de 25 (OH) D de crianças com TEA foram reduzidos e a vitamina D melhorou seus sintomas básicos.•Analisamos retrospectivamente a correlação entre os níveis de aminoácidos no sangue e os níveis de 25 (OH) D em crianças com TEA.

• Descobrimos que os níveis de Ala, Arg, Gly, Orn, Gln e His foram significativamente correlacionados negativamente com o nível de 25 (OH) D sérico.•Revisamos posteriormente a literatura para descobrir as vias metabólicas que esses aminoácidos estão intimamente relacionados ao TEA.

• A vitamina D pode regular o ASD através do ciclo Glu-GABA, estresse oxidativo, disfunção imunológica e vias da função mitocondrial.

“Abstrato

“A hipovitaminose D foi reconhecida como um fator de risco para transtorno do espectro do autismo (TEA); no entanto, seu mecanismo permanece obscuro. O metabolismo dos aminoácidos está envolvido nos fatores relacionados ao TEA, como neurotransmissores, estresse oxidativo…

Ver o post original 247 mais palavras

A partir dos 30 minutos: em menos de um ano há 23.000 publicações científicas sobre vitamina D3 e Covid-19 – imunidade inata – Por que não é noticiado?

Deficiência de vitamina D associada ao aumento do risco de COVID-19 – The Jerusalem Post * Vitamin D deficiency linked to increased risk for COVID-19

Dr. Cícero Galli Coimbra, MD, PhD, Professor Livre - Docente - CREMESP 55714 - Responsável pela criação e administração deste Site informativo de publicações científicas: Dr. Celso Galli Coimbra, OABRS 11352

Nota prévia: a Vitamina D3 é de fato –  não uma “vitamina”, mas um poderoso hormônio esteroide da mesma família da testosterona e progesterona, responsável pela imunidade inata. A dosagem fisiológica para necessária para uma pessoa saudável é de 10.000 UI dia, o que a pele produziria em 15 minutos de exposição ao Sol forte.

O Ministério da Saúde de Israel recomenda a vitamina D desde o início da pandemia

“De acordo com Frenkel-Morgenstern, até 70% da população adulta mundial é insuficiente ou deficiente em vitamina D.”

___

“Em julho, o The Jerusalem Post publicou um relatório do que era então um novo estudo da Leumit Health Care Services e da Faculdade de Medicina Azrieli da Universidade Bar-Ilan, que descobriu que níveis baixos de vitamina D podem colocar as pessoas em risco de desenvolver COVID-19.”

___

“O principal achado de nosso estudo foi a associação significativa de baixo nível de…

Ver o post original 559 mais palavras

20.12.2020 – Aumento rápido de uma variante SARS-CoV-2 – múltiplas mutações de proteínas de pico observadas No Reino Unido – [seguido de comentários] * “Rapid increase of a SARS-CoV-2 variant with multiple spike protein mutations observed in the United Kingdom”

Dr. Cícero Galli Coimbra, MD, PhD, Professor Livre - Docente - CREMESP 55714 - Responsável pela criação e administração deste Site informativo de publicações científicas: Dr. Celso Galli Coimbra, OABRS 11352

Comentário após a tradução

Aproximadamente dez milhões e 500 mil artigos sobre “Vitamina” D no Google Acadêmico238 mil artigos sobre o hormônio D3 e o sistema imune no Google Acadêmico

“Nas últimas semanas, o Reino Unido (UK) enfrentou um rápido aumento nos casos de COVID-19 no sudeste da Inglaterra, levando a investigações epidemiológicas e virológicas aprimoradas. A análise dos dados da sequência do genoma viral identificou uma grande proporção de casos pertencentes a um novo agrupamento filogenético único. A nova variante é definida por múltiplas mutações de proteína de pico (“Spike protein ou proteína S”: deleção 69-70, deleção 144, N501Y, A570D, D614G, P681H, T716I, S982A, D1118H) presentes, bem como mutações em outras regiões genômicas.

Embora seja conhecido e esperado que os vírus mudem constantemente por mutação levando ao surgimento de novas variantes, uma análise preliminar no Reino Unido sugere que esta variante é significativamente mais transmissível do…

Ver o post original 963 mais palavras

07.12.2020: Mais de 100 cientistas, médicos e autoridades importantes pedem aumento do uso de vitamina D3 para combater COVID-19 a todos os governos, funcionários de saúde pública, médicos e profissionais de saúde – Evidência cientifica indica vitamina D reduz infecções e mortes *  Over 100 Scientists, Doctors, Leading Authorities Call For Increased Vitamin D Use To Combat COVID-19 To all governments, public health officials, doctors, and healthcare workers

Dr. Cícero Galli Coimbra, MD, PhD, Professor Livre - Docente - CREMESP 55714 - Responsável pela criação e administração deste Site informativo de publicações científicas: Dr. Celso Galli Coimbra, OABRS 11352

Over 100 Scientists, Doctors, & Leading Authorities Call For Increased Vitamin D Use To Combat COVID-19
To all governments, public health officials, doctors, and healthcare workers

Over 100 Scientists, Doctors, & Leading Authorities Call For Increased Vitamin D Use To Combat COVID-19
To all governments, public health officials, doctors, and healthcare workers

 

Evidência cientifica indica vitamina D reduz infecções  e mortes

7 de dezembro de 2020

Fonte: #VitaminDforAll: 100+ Authorities Call For Vitamin D To Combat COVID19

A todos os governos, funcionários de saúde pública, médicos e profissionais de saúde,

A pesquisa mostra que os baixos níveis de vitamina D quase certamente promovem infecções, hospitalizações e mortes por COVID-19. Dada a sua segurança,  e apelo a uma maior ingestão de vitamina D generalizadas imediatos.

A vitamina D modula milhares de genes e muitos aspectos da função imunológica, tanto inata quanto adaptativa. A evidência científica  mostra que:

  • Níveis mais…

Ver o post original 3.971 mais palavras

%d blogueiros gostam disto: